Paratextualidade e tradução: a paratradução da literatura infantil e juvenil

Paratextualidade e tradução: a paratradução da literatura infantil e juvenil

Yuste Frías, José (2014) «Paratextualidade e tradução: a paratradução da literatura infantil e juvenil», Cadernos de Tradução, vol. 2, n.º 34: 9-60.

Resumen

El objetivo de este artículo de más de cincuenta páginas es demostrar la utilidad práctica de la noción de paratraducción como herramienta metodológica para el estudio de los elementos paratextuales en la Traducción de la Literatura Infantil y Juvenil (TRALIJ). El artículo empieza con una visión panorámica de la investigación en TRALIJ planteando el debate tanto sobre la propia denominación del campo científico (¿infantil o juvenil?) como sobre su ámbito de actuación (¡literatura o paraliteratura!). El artículo continúa con uma extensa y actualizada introducción teórica sobre la noción de «paratraducción», un neologismo de la traductología creado por el autor en el seno del Grupo de Investigación Traducción & Paratraducción de la Universidade de Vigo. Prosigue una descripción detallada, un análisis pormenorizado y un estudio crítico completo del corpus constituído por una encargo real de TRALIJ del francés al español de dos libros infantiles solicitado por la editorial española Imaginarium. El artículo presenta una lectura, interpretación y (para)traducción de la simbología de las rayas utilizadas en el diseño tipográfico de la imagen de las letras de los títulos de los dos libros editados por la editorial francesa que los publicó por primera vez, con la finalidad de comprobar qué ocurrió en edición final de la traducción publicada por la editorial española. El artículo finaliza apuntando la imperiosa necesidad de aceptar, en la práctica profesional de la traducción, una ética del umbral implícita en la propia noción de paratraducción, con vistas a instaurar, de una vez por todas, un diálogo permanente entre traductores y editores para garantizar que ninguna traducción sea publicada jamás sin su correspondiente paratraducción.

Resumo

O objetivo deste artigo é provar a aplicação empírica, sociológia e discursiva da noção de paratradução como uma ferramenta metodológica adequada ao estudo de elementos paratextuais na tradução em geral, e, particularmente, na Tradução da Literatura Infantil e Juvenil (TRALIJ). O artigo inicia com uma visão panorâmica da investigação em TRALIJ, continua com uma extensa e atualizada introdução teórica sobre a noção de paratradução, um neologismo nos estudos da tradução introduzido pelo autor na criação do grupo de pesquisa Tradução & Paratradução da Universidade de Vigo. Prossegue com a descrição detalhada, a análise pormenorizada e o estudo crítico completo do corpus constituído por um trabalho efetivo de TRALIJ solicitado pela editora espanhola Imaginarium, que consistiu na tradução para o espanhol de dois livros infantis escritos em francês. Apresenta-se uma leitura e a interpretação da simbologia das listras utilizada no desenho tipográfico da letra dos títulos dos dois livros da edição francesa, com a finalidade de comprovar como se realizou, na edição espanhola, a paratradução de tal tipografia. O artigo finaliza apontando a premente necessidade de aceitar na prática da tradução uma ética do limiar, implícita na própria noção de paratradução, com o intuito de estabelecer, de uma vez por todas, um diálogo permanente entre tradutores e editores, a fim de garantir que nenhuma tradução seja publicada sem sua devida paratradução.

Abstract

The aim of this contribution is to prove the empiric, sociologic and discursive usefulness of the notion of paratranslation as a proper methodological tool for the study of paratextual elements in translation in general, and specifically, of Children’s Literature Translation. The contribution opens with an overview of the investigation in Children’s Literature Translation, continues with an extensive and updated theoretical introduction about the notion of paratranslation, a new term in translation studies coined by the Translation and Paratranslation research group at the University of Vigo. Proceeds with a detailed description, an elaborated analysis and a complete critical study of the corpus constituted by a real work of Children’s Literature Translation requested by the Spanish publisher Imaginarium, which consisted of the translation into Spanish of two children’s books written in French. It presents the reading and interpreting of the symbolism of stripes used in typographic design of the title letter of the two books in French edition, in order to demonstrate how the paratranslation of such typography was conducted in the Spanish edition. The article is concluded by pointing out the urgent need to accept an ethical threshold in the practice of translation, implicit in the notion of paratranslation, with the purpose of establishing, once and for all, a permanent dialogue between translators and editors, to ensure that no translation is published without its corresponding paratranslation.

No Comments

Post A Comment